As tendências para a moda paulistana em 1927


Reportagem da revista Modearte do ano de 1927. Neste texto foi mantida a grafia original –



“CHRONICA DA MODA”

(Imagem: Arquivo Biblioteca Nacional)


 Entre as novidades desta estação, sobresahe particularmente a saia direita atraz e aos lados e muito em fórma no meio da frente. A’s vezes essa linha é sustentada de numerosos franzidos partindo de uma larga fivela bijouterie. Outras vezes é somente uma disposição de costuras que determina o effeito em fórma, alongado quasi sempre em um movimento arredondado e encantador. 

 Essa nova idéa muito graciosa, completa com os corpetes blousées, toda a originalidade dessa estação. Cada vez mais esses corpetes blousées são a grande voga; como tambem os movimentos de boleros impõem-se cada dia mais. Porém esse não é absolutamente o verdadeiro bolero; vêmos por exemplo o corpete blousé na frente a atraz, formar bolero aos lados sómente. Esse movimento é moderno e encantador.


 Os vestidos para a noite são extremamente leves. O crêpe Georgette é ainda o tecido preferido, o qual combina-se ás vezes com tecidos de seda, formando um effeito delicioso, e ornado de galões e de bordados em lantejollas, de nacre ou de strass sempre muito brilhantes. Para os vestidos leves, vêmos muitos volantes, plissées, e franzidos, guarnecidos de flores de tecido.

 Os écharpes atados em volta do pescoço e fixados mediante uma flôr, são uma linda novidade e das mais graciosas.
 Quanto aos manteaux para noite, são as capas que dominam, ornadas de gollas muito envolventes, trabalhadas em grossos franzidos coulissées, ou então em pele.


La Parisienne de St. Paul 


DESCRIPÇÃO DOS MODELOS


4011 – Vestido em crepe georgette, guarnecido de avental finamente plissée. Flôr ao hombro em fita lamé prateada.

4012 – Vestido em messalina rosa claro, guarnecido de franzidos ninhos de abelhas.

4013 – Vestido em crepe georgette rosa e claro e mais escuro, guarnecidos de florsinhas de tecido.

4014 – Vestido de messalina branca, guarnecido de volantinhos plissés em lamé prateado.

4015 – Vendido em rendado de seda, mangas e penneaux em crepe georgette.

4016 – Manteau de veludo, guarnecido de pelle em duas côres.

(Imagem: Arquivo Biblioteca Nacional)



4018 – Manteau em drap fino com pala e pregas. Golla e punhos de lapin branco.

4019 – Manteau em crepe ouatiné volante em forma na frente. Golla, punhos em loutre. 

(Imagem: Arquivo Biblioteca Nacional)





Extraído de:

Revista Modearte. Edição Avulsa. São Paulo, 1927. Disponível em Biblioteca Nacional.

Império Retrô

Criado em 2010 por Rafaella Britto, o blog Império Retrô aborda a influência do passado sobre o presente, explorando os diálogos entre moda, arte e comportamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário