16 lindas imagens de Vivien Leigh antes da fama



Por Rafaella Britto –


Considerada uma das grandes atrizes do século 20, Vivien Leigh eternizou-se como a destemida Scarlett O’Hara no clássico de Victor Fleming ...E O Vento Levou (1939), pelo qual conquistou seu primeiro Oscar de Melhor Atriz. Nascida em Darjeeling, Vivian Mary Hartley (seu nome de batismo) cresceu entre a Índia e a Inglaterra. O sobrenome Leigh foi adotado de seu primeiro marido, o advogado Herbert Leigh Holman, pai de sua única filha.
A atriz, morta em 1967, venceu ainda um segundo Oscar por sua performance de Blanche DuBois em Uma Rua Chamada Pecado (1951), de Elia Kazan, e atuou em dezenas de peças tendo como principal parceiro e colaborador seu segundo marido, o ator Laurence Olivier.


As imagens a seguir mostram Vivien Leigh antes do estrelato: a infância e adolescência na Índia, o início da vida artística e o primeiro casamento. 

Com a mãe, Gertrude, em Calcutá, 1915
(Foto: Reprodução)

Em Calcutá, 1915
(Foto: Reprodução)

1918. Fotógrafo desconhecido
(Foto: Reprodução)

1918. Fotógrafo desconhecido
(Foto: Reprodução)

Em 1918, vestida de cigana para uma peça do colégio
(Foto: Reprodução/Kendra Bean)

Aos 12, fotografada por Marcus Adams
(Foto: Reprodução/Kendra Bean)

Aos 12 anos, época em que iniciou os estudos de atuação
(Foto: Reprodução)

Aos 12 anos, época em que iniciou os estudos de atuação
(Foto: Reprodução)

No fim da década de 1920
(Foto: Reprodução)

Em Calcutá, 1915
(Foto: Reprodução)

Com os pais, Ernest e Gertrude, em Darjeeling
(Foto: Reprodução)

Adolescente, na Índia
(Foto: Reprodução/Monique Classique)

No primeiro casamento, 1932
(Foto: Reprodução/Kendra Bean)

1932: no primeiro casamento com o advogado Herbert Leigh Holman, de quem adotou o sobrenome
(Foto: Reprodução) 

1932: no primeiro casamento com o advogado Herbert Leigh Holman, de quem adotou o sobrenome
(Foto: Reprodução) 



Acompanhe o Império Retrô nas redes sociais:

Império Retrô

Criado em 2010 por Rafaella Britto, o blog Império Retrô aborda a influência do passado sobre o presente, explorando os diálogos entre moda, arte e comportamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário