Conheça a designer por trás dos vestidos pintados por Gustav Klimt


Por Rafaella Britto – Originalmente publicado no site Arte Ref
Um dos mais consagrados pintores simbolistas de todos os tempos, Gustav Klimt chama a atenção por suas obras repletas de formas e cores esplendorosas, que já serviram de inspiração para estilistas renomados como Alexander McQueen. No entanto, o que poucos sabem é que por trás dos deslumbrantes vestidos pintados pelo artista austríaco está uma revolucionária designer de moda. Conheça a vida e a obra de Emilie Flöge, a costureira boêmia companheira e musa de Klimt.


Retrato de Emilie Flöge - Gustav Klimt, 1902 (Foto: Reprodução)

ESTILISTA DE VANGUARDA
Nascida em Viena, em 30 de agosto de 1874, Emilie Flöge iniciou sua carreira como costureira. Em 1895 passou a trabalhar ao lado de sua irmã mais velha, Helene, que havia aberto uma escola de costura. As irmãs venceram concursos de moda e confeccionaram peças para exposições de arte. Em 1904, Emilie e Helene abriram seu ateliê de alta-costura, Schwestern Flöge (Irmãs Flöge), atraindo a atenção da alta-sociedade vienense.


Emilie iniciou sua carreira como costureira, confeccionando peças para exposições de arte. Mais tarde,  a jovem designer passa a atrair a atenção da alta-sociedade vienense (Fotomontagem/Reprodução)

Emilie destacou-se por seu talento tanto para produzir peças comerciais, seguindo as tendências ditadas por Paul Poiret e Coco Chanel, como também por suas “peças de arte” e seu engajamento no feminismo, sendo parte da Reforma do Traje Vitoriano – movimento que propunha a criação de roupas mais confortáveis e usuais para as mulheres.


Flöge era conhecida tanto por seu talento para produzir peças comerciais como por suas "peças de arte". A designer foi uma das principais expoentes da Reforma do Traje Vitoriano (Fotomontagem/Reprodução)


EMILIE E KLIMT: UMA PARCERIA PROLÍFICA

Em fins do século 19, Emilie Flöge era frequentadora dos círculos artísticos e intelectuais boêmios. Foi onde conheceu Gustav Klimt. Helene, sua irmã mais velha, era casada com o irmão de Klimt, e tornou-se protegida do pintor após a morte de seu esposo.

Emilie Flöge e Gustav Klimt: uma parceria prolífica (Foto: Reprodução)

Gustav costumava passar verões com a família Flöge. Emilie, à época com 18 anos, desenvolveu uma longa e prolífica amizade com Gustav. O artista retratou-a em diversas obras – historiadores creem que o famoso quadro O Beijo retrata Klimt e Emilie como amantes – e buscou inspiração em seus vestidos, que traziam variações de motivos e cores. Klimt também desenhou vestidos para Flöge.

Klimt buscou inspiração nos vestidos de Flöge, que traziam variações de motivos e cores. Historiadores afirmam que teriam sido amantes (Fotomontagem/Reprodução)

Flöge vestindo peças desenhadas por Klimt (Fotomontagem/Reprodução)

Emilie Flöge posa com suas criações suas. A designer foi retratada em diversas obras de Klimt, entre elas, o famoso quadro O Beijo (Fotomontagem/Reprodução)

Após a morte de Klimt, em 1918, Emilie Flöge herdou metade de seu patrimônio. A artista fechou seu ateliê de alta-costura em 1938, após a ascensão do nazismo na Europa, e passou a produzir em sua casa.
A parceria entre Klimt e Flöge foi retratada no livro The Painted Kiss (2005), de Elizabeth Hickey, e no filme biográfico Klimt (2006), com Emilie interpretada por Veronica Ferres e John Malkovich no papel-título.

Império Retrô

Criado em 2010 por Rafaella Britto, o blog Império Retrô aborda a influência do passado sobre o presente, explorando os diálogos entre moda, arte e sociedade.

6 comentários:

  1. Mulherrrrrrrrr que interessante!!
    Mal conhecia e já considero.
    Eu acho divino o quadro O Beijo - muita lindeza!!!
    Você percebe como os padrões mudam sempre né, às vezes a agente nem percebe durante os anos, mas ele está lá, se transformando.

    Adorei conhecer a história dos dois e mais sobre ela.

    xoxo


    http://rascunhosehistorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Léa, os padrões estão sempre mudando, só os observadores atentos percebem. Fico feliz que tenha gostado!

      Beijos!

      Excluir
  2. Que bacana conhecer o "staff" de Klimt, eu não fazia ideia que havia uma estilista por trás das telas. Fui "apresentada" ao Klimt qndo tinha meus "dezoitinhos" e até hj não esqueço aquele beijo...rsrs.
    https://soulsoretro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como esquecer aquele beijo, não é? Klimt é maravilhoso! ♥

      Excluir
  3. Que saudade que estava de ler coisas boa rsrs
    adoro seu modo de escrever Rafaella, amo esse quadro do O beijo na casa da minha avó tinha uma replica mas ela não sabia me dizer de quem era, depois de muito tempo que fui descobrir.
    Beijos
    https://cherrycriis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estava com saudades da senhorita por aqui! Acho que todos os amantes de Klimt começaram a amá-lo com "O Beijo", é muito encantador! Fico feliz que tenha gostado, Cris!

      Beijos!

      Excluir