As groupies mais famosas de todos os tempos


Por Rafaella Britto -


Quando Elvis Presley requebrou pela primeira vez no palco, as mulheres descobriram o charme, a sensualidade e o magnetismo dos astros do rock. Nos efervescentes anos 60 e 70, as groupies escandalizaram a geração do pós-guerra ao driblarem as convenções e conhecerem os rockstars na intimidade.
As groupies foram pioneiras da liberação sexual feminina e viveram intensamente o lema “sexo, drogas e rock ‘n’ roll”: mais do que fãs que dormiam com seus ídolos, elas quebraram paradigmas de comportamento e puseram aos seus pés nomes como Jimmy Page, Mick Jagger e David Bowie. Conheça as 6 groupies mais famosas de todos os tempos.

PAMELA DES BARRES

Pamela des Barres é, em suas próprias palavras, “uma pioneira sexual americana”: nascida Pamela Miller, ainda criança apaixonou-se por Elvis Presley. Durante a juventude, em Los Angeles, enquanto sustentava-se como babá na casa de Frank Zappa, dormiu com Mick Jagger, Keith Moon, Nick St. Nicholas, Chris Hillman, Noel Redding, e muitos outros. Suas experiências originaram dois livros de memórias, “I’m With the Band” (1987) e “Take Another Little Piece of my Heart” (1993). Eu cresci nos frígidos mas em processo de degelo anos 50, vendo minha mãe cuidar do meu pai, então foi totalmente natural que eu quisesse cuidar de um astro do rock”, disse. “Pode culpar o Elvis. Eu me considero uma feminista verdadeira do início dos direitos das mulheres, porque estava fazendo exatamente o que queria fazer.”

(Foto: Reprodução)

NANCY SPUNGEN

Em 1976, no auge da cena punk inglesa, Nancy Spungen deixou a vida de stripper nos bares de Nova York e partiu para Londres, onde se envolveu com Sid Vicious, baixista e líder dos Sex Pistols. O controverso relacionamento terminou de maneira trágica em 1978, quando Nancy, então com 20 anos, foi encontrada morta no banheiro de um quarto no Hotel Chelsea, em Nova York, com uma facada no abdômen. Sid Vicious foi preso acusado de assassinato, e morreu no ano seguinte, vítima de overdose de heroína. Atualmente, historiadores e jornalistas defendem a inocência de Sid, alegando que Nancy teria sido morta por um traficante que frequentava o quarto do casal. O romance tornou-se filme em 1986, “Sid & Nancy – O Amor Mata”, com Gary Oldman e Chloe Webb nos papéis principais.

Nancy Spungen e Sid Vicious (Foto: Reprodução)

BEBE BUELL

Bebe Buell foi descoberta aos 17 anos pela Ford Models de Nova York e posou para a revista Playboy em 1974. Foi amante de Rod Stewart, George Harrison, Jimmy Page, Coyote Shivers, Mick Jagger, John Taylor, Stiv Bator e Todd Rundgren. Em 1976 deu à luz a sua filha, a atriz Liv Tyler, fruto de seu relacionamento com Steven Tyler. Liv, entretanto, foi registrada como filha de Todd Rundgren, e somente na adolescência descobriu que seu verdadeiro pai era o vocalista do Aerosmith.

Bebe Buell e Stiv Bator (Foto: Reprodução)

SABLE STARR

Sable Starr perdeu sua virgindade aos 12 anos com Randy California, guitarrista da banda Spirit. Pouco depois, tornou-se frequentadora dos famosos nightclubs de Los Angeles. Teve como parceiros sexuais Robert Plant, Jimmy Page, Mick Jagger, Marc Bolan e David Bowie. A “rainha da cena groupie” foi eternizada por Iggy Pop na música “Look Away”: “I slept with Sable when she was 13/Her parentes were too rich to do anything/She rocked her way around LA/’Til a New York Doll carried her away...”

Sable Starr ao lado de Johnny Thunders e Iggy Pop (Foto: Reprodução)

LORI MADDOX

Nascida e criada em Los Angeles, Lori Maddox mal havia entrado na adolescência quando foi introduzida a cena groupie por sua amiga Sable Starr. Lori afirma ter perdido a virgindade aos 13 anos, com David Bowie. Ela manteve, ainda, um relacionamento com Jimmy Page, que permaneceu oculto da mídia para livrar o músico das acusações de estupro e pedofilia, já que Lori era menor de idade.

Lori Maddox e Jimmy Page (Foto: Reprodução)

ANITA PALLENBERG 

Musa do flower power, Anita Pallenberg tornou-se famosa por seu envolvimento com membros dos Rolling Stones - primeiro Brian Jones, e depois Keith Richards, com quem teve dois filhos. Apelidada por Marianne Faithfull de “evil glamour”, seu estilo boêmio permanece, ainda hoje, como referência entre fashionistas.

Anita Pallenberg e Keith Richards (Foto: Reprodução)

Foto Capa: Reprodução

Império Retrô

Criado em 2010 por Rafaella Britto, o blog Império Retrô aborda a influência do passado sobre o presente, explorando os diálogos entre moda, arte e sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário