Beleza no exílio: o charme das modelos russas na primeira metade do século 20

Por Alexander Vassiliev*

A modelo Varvara Rapponet - Paris, 1944 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

Deve haver na trilha sonora da primeira metade do século 20 alguma canção que descreva a graça e a beleza das mulheres russas. Elas eram adoradas pelos poetas da “Silver Age”. Educadas nos Institutos para Mulheres Nobres de São Petersburgo e Moscou, fluentes em muitas línguas e criadas de maneira impecável. Em uma palavra, a dama russa da “Belle Époque” podia ser considerada uma verdadeira musa. Parece normal que todos os grandes artistas do século 20 – Picasso, Dalí, Matisse, Léger e Rolland – tenham se casado com russas!

A atriz Vera Kommisarjevskya - São Petersburgo, 1900 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

Quando eclodiu a Primeira Guerra Mundial e a Rússia foi tomada por revoluções e guerras civis, aristocratas se exilaram para proteger suas famílias da perseguição dos bolcheviques. Mais de 10 milhões de pessoas deixaram sua terra natal e partiram para o estrangeiro. A França abrigou um vasto número de refugiados. Entre eles haviam beldades conhecidas, à procura de trabalho. Assim, o Ocidente adquiriu cantoras, atrizes e bailarinas russas para seu entretenimento. O balé de Sergei Diaghilev já havia deflagrado um interesse do Ocidente pela arte russa. Conforme imigrantes foram conquistando oportunidades de trabalho em cabarés, óperas e filmes mudos, a fascinação por tudo o que vinha da Rússia cresceu.

A cantora Anastasia Vialteza - São Petersburgo, 1902 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

Foi uma era de estrelas famosas, como as bailarinas Anna Pavlova e Thamara Karsavina, as cantoras Maria Zuznetstoff e Lydia Lipkovskaya, e a rainha do cinema russo, Vera Kholodnaya. Muitas atrizes estrelaram produções em Hollywood, e outras seguiram carreira na Europa. Para citar algumas: Alla Nazimova, Olga Baclanova, Anna Sten, Natalie Kowanko, Vera Malinovskaya, Nina Vanna, Lya Mara, Olga von Beliaeff e Xenia Desni. Elas não eram apenas mulheres extraordinariamente belas, mas atrizes talentosas, como atestam os arquivos fílmicos.

A atriz Olga Baclanova - Hollywood, 1928 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

Após a Primeira Guerra, a moda parisiense conquistou seu auge. O mundo estava sedento de novidade, originalidade e frescor. Um exotismo era visto nas casas de moda russas, que abriram suas portas na França no início dos anos 1920. Seus proprietários eram muitas vezes aristocratas que fizeram parte da primeira onda de imigração. As mulheres da aristocracia eram familiarizadas aos segredos da Alta-Costura, já que haviam sido clientes dos maiores ateliês da Europa. Nas escolas de educação para jovens moças, adquiriram o bom gosto estético e desenvolveram habilidade com a agulha.

A modelo Thea Brobikoff - Paris, 1928 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

“Irfe”, uma das mais famosas casas de moda russas na França, era propriedade do Príncipe e da Princesa Youssoupoff. “Yteb” foi outra famosa casa de moda: “Yteb” era o nome de sua fundadora, Baronesa Betty Hoyningen-Huene – Baronesa Vrangel em seu primeiro casamento -, soletrado ao contrário.

Princesa Irina Yousoupoff (nascida Romanov), proprietária da casa de moda Irfe - Paris, 1924 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

As modelos russas dos anos 1920 e 1930 eram famosas por suas peles claras, bochechas róseas e olhos azuis. A Princesa Mary Eristoff tornou-se a estrela da Chanel. Outras supermodelos da época foram a Condessa Elizabeth Grabbe, a Princesa Mia Obolensky e Thea Bobrikoff. Após a Crise de 1929, a indústria desenvolveu uma preferência por mulheres loiras. Editores de moda glorificavam as belezas dramáticas da Princesa Natalie Paley, Ludmila Fedoseeva, Lydia Rotwand e a Viscondessa Genya de Castex.

A modelo Viscondesa Genya de Castex (nascida Gorlenko) - Paris, 1934 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

Toda grande casa de moda parisiense empregava ao menos duas ou três modelos russas. Durante a era da Art Déco, as modelos eram requisitadas não somente para expor os designs das coleções, como também para entreter a clientela. Para este trabalho era necessário que se falasse outras línguas, uma vez que muitos clientes não eram franceses.

A modelo Princesa Mary Eristoff - Paris, 1929 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

As modelos russas trouxeram glamour e um novo prestígio à indústria: a combinação de charme, bom gosto, boas maneiras e títulos aristocráticos impulsionaram transformações no universo da moda. Confira outros retratos de famosas atrizes, modelos, cantoras e dançarinas russas que deixaram seu país de origem e conquistaram sucesso no exílio como símbolos de beleza:

A cantora Maria Kuznetsoff - Paris, 1912 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A bailarina Anna Pavlova - Berlim, 1913 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev) 

A atriz Vera Kholodnaya - Moscou, 1916 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A bailarina Valentina Kashouba - Paris, 1917 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A bailarina Alexandra Balashova - Paris, 1921 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A atriz Olga v. Beliaeff - Berlim, 1923 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A Baronesa Elizabeth Vrangel - Paris, 1923 (Foto: Acervo de Alxander Vassiliev)

A modelo Iya Abdy - Paris, 1925 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A atriz Xenia Desni - Berlim, 1927 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A atriz Nina Vanna - Londres, 1928 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A modelo Princesa Elizabeth Bielloselsky-Biellozersky (nascida Condessa de Grabbe) - Paris, 1929 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A atriz Natalie Kowanko - Berlim, 1930 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A modelo Princesa Mia Obolensky - Paris, 1930 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A atriz Vera Malinovskaya - Berlim, 1931 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A atriz Anna Sten - Hollywood, 1932 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A atriz Maria Pavlova (nascida Princesa Volkonsky) - Paris, 1932 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A modelo Princesa Natalie Paley - Paris, 1937 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A supermodelo Ludvinila Fedoseeva - Paris, 1938 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A bailarina Xenia Trippolitoff - Paris, 1945 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)

A cantora Ludmila Lopato - Paris, 1950 (Foto: Acervo de Alexander Vassiliev)


Texto original em russo e inglês disponível em: http://sputnikipogrom.com/docs/A_Vasilyev_-_Istoria_Mody_Vypusk_1_Russkie_K.pdf 
Tradução: Rafaella Britto 
Imagens: Acervo pessoal de Alexander Vassiliev


*Alexander Vassiliev é historiador de moda, cenógrafo, decorador, figurinista de teatro e colecionador, apaixonado pela arte russa. Nasceu em Moscou, em 1958, numa família de artistas, e em 1982 se mudou para Paris para iniciar carreira internacional. É autor do livro “Beauty in Exile” e editor da Vogue e Harper’s Bazaar. Seus trabalhos podem ser conferidos em seu site: http://www.vassiliev.com/


Império Retrô

Criado em 2010 por Rafaella Britto, o blog Império Retrô aborda a influência do passado sobre o presente, explorando os diálogos entre moda, arte e sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário