22 anos sem Isaurinha Garcia: relembre os grandes sucessos da cantora

Por Rafaella Britto

Foto: Reprodução/Isaurinha Garcia

Há 22 anos, em 30 de agosto de 1993, falecia aos 70 anos Isaurinha Garcia, uma das mais populares cantoras da Era do Rádio no Brasil. “A Personalíssima” nasceu na Rua da Alegria, no bairro do Brás, em São Paulo, em 26 de fevereiro de 1923. Com uma carreira que ultrapassa 50 anos, é considerada a “Edith Piaf brasileira”.

Foto: Reprodução
Descendente de italianos, Isaurinha era sobrinha do famoso pintor modernista José Pancetti. Despertou o talento para a música cantando enquanto engarrafava vinhos na loja de seus pais. Percebendo a vocação de sua filha, a mãe, dona Amélia, levou-a para apresentar-se em um concurso promovido pelo programa “A Hora da Peneira Rhoudine”, da Rádio Cultura, porém Isaura, então com 13 anos, não venceu.

Foto: Reprodução


Dona Amélia, inconformada, levou-a para participar novamente no ano seguinte, 1938, desta vez em concurso promovido pela Rádio Record no programa de Otávio Gabus Mendes. Isaurinha venceu ao apresentar o samba “Camisa Listrada”, de Assis Valente, e logo no ano seguinte, aos 14 anos, assinou contrato com a emissora, onde permaneceu por décadas, sem jamais ter trocado São Paulo pelo Rio de Janeiro.
No início de sua fama, Isaurinha, inspirada por suas divas Carmen Miranda e Aracy de Almeida, formou dupla com o cantor Vassourinha, excursionando por todo o país. A dupla desfez-se, e Isaurinha seguiu carreira solo.
Sua voz fez parte de jingles publicitários para rádios, e somente em 1941, Isaurinha lançou seu primeiro disco, pelo selo Columbia. O primeiro álbum lançou os singles “Pode ser?”, samba de Geraldo Pereira e Marino Pinto, e “Chega de Tanto Amor”, choro composto por Mário Lago.

Isaurinha em 1953
Foto: Reprodução/Isaurinha Garcia

No mesmo ano, 1941, gravou seus segundo e terceiro discos, lançando os sucessos “Aproveita Beleléu”, de Marino Pinto e Murilo Caldas, “A Baratinha”, marchinha de Antônio Almeida e “O Telefone Está Chamando”, de Benedito Lacerda e Popeye do Pandeiro. Em 1942, gravou outros quatro discos, e em 1943, o samba “Aperto de Mão”, de Jaime Florence, Augusto Mesquita e Horondino da Silva foi seu primeiro grande sucesso. Mas só em 1945 se consagraria como uma das maiores vozes da música popular brasileira, ao interpretar o samba “Mensagem”, de Aldo Cabral e Cícero Nunes, o clássico de sua carreira.
Em fins da década de 1940 e começo de 1950, Isaurinha excursionou com shows pelo país, e o sucesso granjeou-lhe os títulos de “Rainha do Rádio Paulista”, “Rainha da Noite” e “Rainha dos Taxistas”. Tornou-se conhecida, também, como “A Personalíssima”, título do álbum lançado em 1957.


Foto: Reprodução/Isaurinha Garcia

Isaurinha casou-se pela primeira vez aos 14 anos, e na década de 1950 apaixonou-se pelo compositor Walter Wanderley, pai de sua única filha, Mônica. Walter era violento, e ele e Isaurinha viviam uma relação tempestuosa, marcada por intrigas, traições e ciúmes. Isaurinha tinha como rival a cantora Claudette Soares. Há quem diga que, por causa de Walter, Claudette e Isaurinha teriam se engalfinhado em frente a uma boate.
Apesar do conturbado relacionamento, alvo das fofocas e publicidade, Isaurinha jamais amou outro homem como amou Walter Wanderley: “Acho que há em mim duas pessoas. Eu amei muito. Amei de verdade. E sofri muito. Então, eliminei primeiro aquilo que me fazia sofrer. Me apego muito às pessoas, aos animais, a tudo. E depois fico com medo de perder. Gostar mais de alguém, não vou gostar, não. Me apavorei.”


Em 2003, dez anos após a morte de Isaurinha, o romance com Wanderley foi narrado no musical “Isaurinha – Personalíssima”, dirigido por Jaqueline Laurence, com a atriz Rosamaria Murtinho no papel da cantora.
Com mais de 300 canções, a beleza singela e o inigualável timbre da “Personalíssima” fizeram-na eterna na música brasileira. 


Referências: 

Império Retrô

Criado em 2010 por Rafaella Britto, o blog Império Retrô aborda a influência do passado sobre o presente, explorando os diálogos entre moda, arte e comportamento.

2 comentários:

  1. Não conhecia a historia dela,canta muito viu adorei o post
    vc sempre arrasa,sempre que quero conhecer uma bio nova o primeiro lugar que venho olhar e no seu cantinho.
    Beijos
    http://cherrycriis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho, Cris!

      Beijos,
      Rafa.

      Excluir